domingo, 11 de janeiro de 2015

teatro chamado vida

primeiro ato.
quando foi que tudo isso aconteceu? meu corpo não é mais meu, mas continuo pilotando a nave. e é quando estou esquecido que a sensação de inteiro me vem, inteira. solidão que milagre. 

segundo ato.
acorda, arruma as coisas, nem toma um chimarrão e vai embora.solidão um pertence.vamos esperar que o sol faça alguma coisa pela gente, que seja apagar a luz do dia, pra noite, esse pertence, nos deixe sozinhos.

terceiro até logo
é longe. meus olhos miados não enxergam nada mais além do corpo que testemunho. (aqui existem vários finais)

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Depositos de nenes




não quero escrever, mas a puta queu pariu, vou escrevendo.

domingo, 4 de janeiro de 2015

a cada dos Budas Ditosos

minha forte atração pelos santos
é de alguem que me perdoe.

 {joão batista e eu}
 {a troca / minha filha volte pra casa}
{sem culpa, feeling like móises}

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

pros seus ouvido


pra pensar em alguem, 
esvaziar. 
pra pensar em alguem.
encher.

https://www.youtube.com/watch?v=zKf_T7qiJe0

três tristezas sobre o céu

"tentar entender o por do sol 
é descansar o horizonte"

"cheio de nuvens,
vazio céu"

"deixei meus olhos colados aqui
esse fim de tarde
é um filho laranja"


ps. qualquer fim de tarde

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

sem culpa

percorre um sentido de falta,
um vazio você.
brisa noite chuva
uma puta vontade de te ver,
sem poesia nenhuma
só carne, só dia,
mas vai mais 30 dias
preu me acostumar,
a não ser que corro agora,
mas é bom aprender sem você.




ps. mato tua vontade na escrita.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

sobre o estado do corpo

hoje é natal. geada e verão.


já abasteci o que o dinho pediu. seis sacas.




o papai noel gira feito loco. perdeu nosso endereço endereço.


"pratos cheios"



alguém ajude esse bueno homem, pois estamos cuidando dos cachorros.



ps. sua carta ainda não chegou

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

soóti **

jazz me coloca in a mood. de estar sentado. de escrever. de lembrar de lembranças. de voltar a escrever jaaz me coloca in a mood. modos outros. pela mãos dos outros jazz me coloca inamood.

agora mesmo

100 pés de profundidade
sapatearam no meio peito
cama longa
a noite é geada e verão

segunda-feira, 13 de maio de 2013

soóti

a máscara me olha, intacta, parada.
veio de outro lugar. minha casa é desconhecida pra ela.
mas imóvel, ela percebe, observa, traz a realidade de suas cores pra sala.
ela me lembra eu, dentro de ônibus, fim de tarde laranjado.

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Hoje a tarde

volto,
a partir de hoje volto
confuso,
rindo,
eu,
volto,
a partir de hoje volto.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

estou longe



estou dentro de mim

sexta-feira, 1 de julho de 2011

invenção

«Toco a tua boca.
Com um dedo, toco a borda da tua boca, desenhando-a como se saísse da minha mão, como se a tua boca se entreabrisse pela primeira vez, e basta-me fechar os olhos para tudo desfazer e começar de novo, faço nascer outra vez a boca que desejo, a boca que a minha mão define e desenha na tua cara, uma boca escolhida entre todas as bocas, escolhida por mim com soberana liberdade para desenhá-la com a minha mão na tua cara e que, por um acaso que não procuro compreender, coincide exactamente com a tua boca, que sorri por baixo da que a minha mão te desenha.
Olhas-me, de perto me olhas, cada vez mais de perto, e então brincamos aos ciclopes, olhando-nos cada vez mais de perto. Os olhos agigantam-se, aproximam-se entre si, sobrepõem-se, e os ciclopes olham-se, respirando confundidos, as bocas encontram-se e lutam sem vontade, mordendo-se com os lábios, quase não apoiando a língua nos dentes, brincando nos seus espaços onde um ar pesado vai e vem com um perfume velho e um silêncio. Então as minhas mãos tentam fundir-se no teu cabelo, acariciar lentamente as profundezas do teu cabelo enquanto nos beijamos como se tivéssemos a boca cheia de flores ou de peixes, de movimentos vivos, de uma fragrância obscura. E se nos mordemos a dor é doce, e se nos afogamos num breve e terrível absorver simultâneo do fôlego, essa morte instantânea é bela. E há apenas uma saliva e apenas um sabor a fruta madura, e eu sinto-te tremer em mim como a lua na água.»

[in O Jogo de Amarelinha (Rayuela), de Julio Cortázar

quinta-feira, 16 de junho de 2011

agorinha

"mozart me agita demais da conta"

domingo, 12 de junho de 2011

jogo da amarelinha

"não se trata de panteísmo, 
ilusão deliciosa, 
queda para cima
 num 
 céu incendiado à beira do mar"

hoje a tarde

"os pais crescem junto com seus filhos"

quinta-feira, 9 de junho de 2011

terça-feira, 31 de maio de 2011

hoje a noite

quero voltar a ser simples. 

viver com mais amor.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

alguem sabe como faz pra dormir?

escolha

durma bem

boa noite amor
durma bem vocês

tô pensando em me mudar.


eu mesmo mudar eu por noz.


cama de três parece diferente.
nunca mais solitário.

agorinha

quero saber quem são os homens que ficam com todo o meu sono?






a noite demora pacas pra passar.






algum outro deve estar com a manhã debaixo do braço,






porque a madrugada são os dois lados da cama.

noite 44

tinha insônia

desenhei uma mão.

já tinha desenhado você,

desenhei eu com sobras de tinta.

arrisquei, ficou lindo,

você, eu e uma mão no leão

sonzis

quarta-feira, 25 de maio de 2011

pela manhã estudo 3

texto


"porque os personagens são posturas de orgãos e as cenas sessões de ritmo. e o texto não é nada além de marcas no chão dos pés de um bailarino desaparecido". 
novarina

"não aceitar a palavra morta sobre o papel, reescrever com o corpo"

terça-feira, 24 de maio de 2011

novas miradas_




















as vezes acho que esqueci o gás ligado!
continua andando pelo centro da cidade.
tá na bici da cyn_

transito curitibano pela manhã.

tardes na construção



foto: maribarros



as cores


quando pequeno, fechei os olhos na escola prometendo não mais me envolver em exatas, em gramas gramaticais, estudos geográficos, em necessidades do memorizar. fechei os olhos e tentei me distanciar. na minha primeira tentativa sentado de olhos fechados de não me comprometer, nossa professora fala das cores com uma facilidade que me atravessou. não tive como não  sorrir.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

agora mesmo

"o que fazemos com as vontades que temos sobre os outros e mantemos em silêncio?"

sexta-feira, 20 de maio de 2011

pela manhã em estudo 2

"nascer e morrer todos os dias

diário

um corpo fresco

que conhece as doenças que o levam

vomita o vazio do proprio ser

sempre fresco

ator"

quinta-feira, 19 de maio de 2011

pela manhã em estudo

"introjeto um texto dentro de mim em persistencia"

"realidade tambem é ficção"



"introjeto um texto dentro de mim em persistencia"

"realidade tambem é ficção"

terça-feira, 17 de maio de 2011

soóti 38

"o ego maior que a barriga"

segunda-feira, 16 de maio de 2011

soóti 36

"tenho tanta roupa para lavar que as vezes acho que é metafora"

domingo, 15 de maio de 2011

mexicanÊs

vocabulario necessario no país chapeludo.


Está Chido o Chingón: cuando algo te gusta
Chamba: Trabajo
Carnal: Hermano, compadre
Reven: Fiesta
La banda: la gente, los amigos
nenas, chicas, mireynas: mujeres lindas
A huevo!: afirmación



kant, de suas gavetas


"A Preguiça e a Covardia são as causas pelas quais uma tão grande parte dos homens, depois que a natureza há muito os libertou de sua direção estranha, continuem no entanto de bom grado menores durante toda a vida. São também as causas que explicam porque é tão fácil que os outros se constituam em tutores deles. É tão cômodo ser menor. Se tenho um livro que faz as vezes de meu entendimento, um diretor espiritual que por mim tem consciência, um método que por mim decide de minha dieta, etc; então não preciso esforçar-me eu mesmo. Não tenho necessidade de pensar, quando posso simplesmente pagar; outros se encarregarão em meu lugar dos negócios desagradáveis. A imensa maioria da humanidade considera a passagem a maioridade difícil e, além do mais, perigosa, porque aqueles tutores de bom grado tomaram a seu cargo a supervisão dela. Depois de terem, primeiramente, embrutecido seu gado doméstico, e preservado cuidadosamente estas tranqüilas criaturas, a fim de não ousarem dar um passo fora do carrinho para aprender a andar, no qual as encerraram, mostram-lhes em seguida o perigo que as ameaça se tentarem andar sozinhas. Ora, esse perigo na verdade não é tão grande pois aprenderiam a andar finalmente depois de algumas quedas. Basta um exemplo desse tipo para tornar tímido o indivíduo e até atemorizá-lo em geral para não fazer as outras tentativas no futuro.
É difícil portanto para um homem em particular desvencilhar-se da menoridade que para ele se tornou quase uma natureza. Chegou mesmo a criar amor a ela, sendo por hora realmente incapaz de utilizar seu próprio entendimento porque nunca o deixaram fazer a tentativa de assim proceder. Preceitos e fórmulas, esses instrumentos mecânicos do uso racional, ou antes, do abuso, de seus dons naturais, são grilhões de uma perpétua menoridade. Quem deles se livrasse só seria capaz de dar um salto inseguro, mesmo sobre o mais estreito fosso, porque não está habituado a esse movimento livre. Por isso são muitos poucos aqueles que conseguiram, pela transformação do próprio espírito, emergir da menoridade e empreender, então, uma marcha segura".

Immanuel Kant, Crítica da Razão Pura

sábado, 14 de maio de 2011

vida noturna


esquetche

"amigos, estamos reunidos hoje no dia da consciencia negra. esperos que os senhores estejam gostando dos petiscos e bebidas. agradecemos a presença de todos, senhoras e senhores, mas ainda aguardamos a chegada de alguns convidados importantes como; a barbie negra, o cisne negro e o verdadeiro jesus, o que vivia no deserto"

hoje em dia

"besta é tu, 

besta é tu,

de não viver esse mundo,

se não há outro mundo"

quinta-feira, 5 de maio de 2011

vertigem

-talvez minha vertigem seja isso-
o medo de ficar apagado,
opaco.
sinto que tenho tanto dentro de mim,
que permanecer invisivel seria ser soterrado,
apagar o que há de melhor.

aí me desafio a ficar mudo,
quieto,
mostrando um silêncio externo,
mas dentro as coisas estão falando;
"vá" "faça" "amanhã não vai ter tempo" 
pareço dentro uma criança chorando por atenção
e o mundo dando sinais para ficar quieto,
se acalmar que as coisas já vão acontecer
e o de dentro querendo meter a mão,
mexer, mudar, mostrar que existe,
que também pode dar direções
mostrar caminhos.

aí escrevo no meu corpo, na pele, todas as sensações internas e
saio,
quieto,
com o corpo gritando rabiscos,
tudo que sinto por dentro.

foi encontrado (um erro)

essa postagem deveria estar 2 esquinas abaixo



chang dai chien
1898 1983 acho
chinês de coração

ultimas noticias

estavamos sem radio,
mas foi dito que foi encontrado sem o esqueúlapu frontal.
não avisamos antes
foi pela corrida
que viemos correndo
viemos
sem radio, sem toca,

alguem conhece o indiviuduou?

sábado, 30 de abril de 2011

leio quadrinhos desde muleque, quando meu pai dava dinheiro para comprar coxinha em viajem e eu comprava gibi. laerte é genio, descompensado, colorido, pa_la_vras, é beethoven das tirinhas.  para curtir mais laerte http://verbeat.org/laerte/










segunda-feira, 18 de abril de 2011

syn_

gostaria que fosse sempre como era no começo, mas agora, diferente

quem quer?

Manifesto sobre a vida do artista [ Marina Abramovic ]

1. a conduta de vida do artista:
- o artista nunca deve mentir a si próprio ou aos outros
- o artista não deve roubar idéias de outros artistas
- os artistas não devem comprometer seu próprio nome ou comprometer-se com o mercado de arte
- o artista não deve matar outros seres humanos
- os artistas não devem se transformar em ídolos
- os artistas não devem se transformar em ídolos
- os artistas não devem se transformar em ídolos

2. a relação entre o artista e sua vida amorosa:
- o artista deve evitar se apaixonar por outro artista
- o artista deve evitar se apaixonar por outro artista
- o artista deve evitar se apaixonar por outro artista

3. a relação entre o artista e o erotismo:
- o artista deve ter uma visão erótica do mundo
- o artista deve ter erotismo
- o artista deve ter erotismo
- o artista deve ter erotismo

4. a relação entre o artista e o sofrimento:
- o artista deve sofrer
- o sofrimento cria as melhores obras
- o sofrimento traz transformação
- o sofrimento leva o artista a transcender seu espírito
- o sofrimento leva o artista a transcender seu espírito
- o sofrimento leva o artista a transcender seu espírito

5. a relação entre o artista e a depressão:
- o artista nunca deve estar deprimido
- a depressão é uma doença e deve ser curada
- a depressão não é produtiva para os artistas
- a depressão não é produtiva para os artistas
- a depressão não é produtiva para os artistas

6. a relação entre o artista e o suicídio:
- o suicídio é um crime contra a vida
- o artista não deve cometer suicídio
- o artista não deve cometer suicídio
- o artista não deve cometer suicídio

7. a relação entre o artista e a inspiração:
- os artistas devem procurar a inspiração no seu âmago
- Quanto mais se aprofundarem em seu âmago, mais universais serão
- o artista é um universo
- o artista é um universo
- o artista é um universo

8. a relação entre o artista e o autocontrole:
- o artista não deve ter autocontrole em sua vida
- o artista deve ter autocontrole total com relação à sua obra
- o artista não deve ter autocontrole em sua vida
- o artista deve ter autocontrole total com relação à sua obra

9. a relação entre o artista e a transparência:
- o artista deve doar e receber ao mesmo tempo
- transparência significa receptividade
- transparência significa doar
- transparência significa receber
- transparência significa receptividade
- transparência significa doar
- transparência significa receber
- transparência significa receptividade
- transparência significa doar
- transparência significa receber

10. a relação entre o artista e os símbolos:
- o artista cria seus próprios símbolos
- os símbolos são a língua do artista
- e a língua tem que ser traduzida
- Às vezes, é difícil encontrar a chave
- Às vezes, é difícil encontrar a chave
- Às vezes, é difícil encontrar a chave

11. a relação entre o artista e o silêncio:
- o artista deve compreender o silêncio
- o artista deve criar um espaço para que o silêncio adentre sua obra
- o silêncio é como uma ilha no meio de um oceano turbulento
- o silêncio é como uma ilha no meio de um oceano turbulento
- o silêncio é como uma ilha no meio de um oceano turbulento

12. a relação entre o artista e a solidão:
- o artista deve reservar para si longos períodos de solidão
- a solidão é extremamente importante
- Longe de casa
- Longe do ateliê
- Longe da família
- Longe dos amigos
- o artista deve passar longos períodos de tempo perto de cachoeiras
- o artista deve passar longos períodos de tempo perto de vulcões em erupção
- o artista deve passar longos períodos de tempo olhando as corredeiras dos rios
- o artista deve passar longos períodos de tempo contemplando a linha do horizonte onde o oceano e o céu se encontram
- o artista deve passar longos períodos de tempo admirando as estrelas
no céu da noite

13. a conduta do artista com relação ao trabalho:
- o artista deve evitar ir para seu ateliê todos os dias
- o artista não deve considerar seu horário de trabalho como o de funcionário de um banco
- o artista deve explorar a vida, e trabalhar apenas quando uma idéia se revela no sonho, ou durante o dia, como uma visão que irrompe como uma surpresa
- o artista não deve se repetir
- o artista não deve produzir em demasia
- o artista deve evitar poluir sua própria arte
- o artista deve evitar poluir sua própria arte
- o artista deve evitar poluir sua própria arte

14. as posses do artista:
- os monges budistas entendem que o ideal na vida é possuir nove objetos:
1 roupão para o verão
1 roupão para o inverno
1 par de sapatos
1 pequena tigela para pedir alimentos
1 tela de proteção contra insetos
1 livro de orações
1 guarda-chuva
1 colchonete para dormir
1 par de óculos se necessário
- o artista deve tomar sua própria decisão sobre os objetos pessoais que deve ter
- o artista deve, cada vez mais, ter menos
- o artista deve, cada vez mais, ter menos
- o artista deve, cada vez mais, ter menos

15. a lista de amigos do artista:
- o artista deve ter amigos que elevem seu estado de espírito
- o artista deve ter amigos que elevem seu estado de espírito
- o artista deve ter amigos que elevem seu estado de espírito

16. os inimigos do artista:
- os inimigos são muito importantes
- o Dalai Lama afirmou que é fácil ter compaixão pelos amigos; porém, muito mais difícil é ter compaixão pelos inimigos
- o artista deve aprender a perdoar
- o artista deve aprender a perdoar
- o artista deve aprender a perdoar

17. a morte e seus diferentes contextos:
- o artista deve ter consciência de sua mortalidade
- Para o artista, como viver é tão importante quanto como morrer
- o artista deve encontrar nos símbolos da sua obra os sinais dos diferentes contextos da morte
- o artista deve morrer conscientemente e sem medo
- o artista deve morrer conscientemente e sem medo
- o artista deve morrer conscientemente e sem medo

18. o funeral e seus diferentes contextos:
- o artista deve deixar instruções para seu próprio funeral, para que tudo seja feito segundo sua vontade
- o funeral é a última obra de arte do artista antes de sua partida
- o funeral é a última obra de arte do artista antes de sua partida
- o funeral é a última obra de arte do artista antes de sua partida

domingo, 17 de abril de 2011

sem titulo




"amar é a arte paciêntica de ser você em dois"

estar com você é estar em todo lugar

perder essa mania de fazer tudo,
de estar em todos os lugares,
estou aqui com você.

não escuto as máquinas trabalhando,
as pessoas conversando,
estou aqui com você.

não vejo os passos passando,
me distraio com o leve toque no seu corpo,
estou aqui com você.

a distância mais longa,
o gesto mais inédito,
estar aqui com você.

e numa leve ausência do meu corpo,
achamos estrelas nas construções,
ritmo nos pés,
silêncio nas palavras.

e quando volto a estar só,
aguardo,
debruçada no parapeito,
com flores nas mãos,
enche meus cabelos de alcachofras gigantes,
o momento de estar aqui com você.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

charada unpriceless


quem são os três figuras ai?

notas sobre o alem

o velhinho sai do consultório e grita, grita para a primeira coisa que vê. é um cão. estabanado sai batendo o rabo, o cão. agora, com os dentes na boca, pode falar de boca cheia.